Quem diabos são ‘Peaky Blinders’ e o que é isso tudo?

Até uns dias atrás eu não fazia ideia da existência dessa série, até receber a indicação do meu amigo e tatuador Marcelo Mazucatto, que garantiu ser do meu agrado. O drama de sucesso da BBC,  Peaky Blinders,  é agora um Netflix Original, estrelado por Cillian Murphy  como Thomas Shelby da vida real pós-gangue da Primeira Guerra Mundial. Depois de uma temporada de sucesso no exterior, a Netflix adquiriu o drama gângster como se fosse o seu próprio bem a tempo para a estreia da segunda temporada na BBC. A série de seis episódios narra os eventos da gangue Peaky Blinders que dominou Birmingham, na Inglaterra, nos anos 1920.

É fácil comparar a série com o  Boardwalk Empire: a cinematografia esfumaçada, o figurino da virada do século, e encontrar-se inexplicavelmente torcendo pelo mal. Como o Boardwalk Empire, a série tem muito peso baseada em figuras da vida real. Ao contrário do Boardwalk Empire, no entanto, há um toque contemporâneo, mais notavelmente a música: The Dead Weather, o White Stripes, e mais – há definitivamente algo emocionante em assistir Cillian Murphy em seu personagem que parece frio emocionalmente mas tão complexo, sem contar no olhar congelante.

Continue Reading

Re: Mind a série japonesa de drama e mistério do Netflix

Quando cliquei em Re: Mind, foi de maneira despretensiosa (à princípio pensei que fosse um filme). Existem aspectos dessa série que parecem completamente estranhos, mas de outras maneiras cativa o público. Onze meninas da escola acordam, todas com sacos sobre suas cabeças e os pés trancados no chão. Há ratos e sapos por toda parte, e uma estranha sensação de que tudo isso é uma piada levada muito longe. Todos os motivos para as meninas estarem no local são esgotados e o show não fornece muitas pistas, permitindo que a audiência se instigue.

O que Re: Mind faz bem é conseguir manter o público interessado. Você fica intrigado e com desejo de descobrir quem está fazendo tudo isso para se vingar. Talvez seja por não saber por que essa pessoa quer tal vingança e por que o culpado permanece anônimo por tanto tempo. Outro aspecto positivo é que durante toda a temporada há apenas dois estágios usados. O primeiro é o lugar onde os reféns são mantidos em cativeiro e o segundo em sua escola. Apesar das configurações limitadas, o drama misterioso ainda é interessante de ver porque o Netflix apresenta o contexto sem complicações e o diálogo flui perfeitamente.

Continue Reading

Gypsy a série da Netflix que vai mexer com a sua cabeça

Quando comecei a assistir Gypsy, não esperava que a série da Netflix fosse ter um impacto tão grande em mim. Como diz um amigo meu “é de cagar o chão de cérebro”. Pra você entender melhor, Jean Halloway uma psicóloga que tem aparentemente todos os ingredientes para ser feliz. Ela possui uma carreira notável na cidade de Nova York, uma espaçosa casa nos subúrbios de Connecticut, uma filha e um marido interessante e interessado, no caso, o advogado charmoso Michael Halloway. Contudo, ela adota um comportamento controverso que pode lhe custar caro.

Com 10 episódios de uma hora de duração, a série acompanha a psicóloga que ganha vida ao ser interpretada por Naomi Watts, atriz duas vezes indicada ao Oscar. Embora tendo jurado ser o porto seguro confiável de seus pacientes e jamais quebrar a ética profissional, Jean quebra essa promessa e ultrapassa todos os limites imagináveis se envolvendo com pessoas que fazem parte da vida de seus pacientes.

A série começa devagar e os primeiros episódios podem parecer massantes, mas ao prosseguir você vai se ver envolvido no drama da psicóloga que joga-se em fantasias perigosas e corre o risco de afundar em uma crise de identidade.

Continue Reading

Quatro séries bobinhas do Netflix pra quem está de bobeira

Séries pra assistir no Netflix

Se você como eu pega o fim de semana para se dedicar a prática do “binge watching” e anda se sentindo órfã por ter terminado de assistir todas as suas séries favoritas do Netflix, não precisa se preocupar. Aqui vão quatro séries que você provavelmente vai adorar e vão ajudar a aliviar a tensão na massa cinzenta.

Continue Reading

Porque eu amo e odeio 13 Reasons Why

Esta é uma série sem um final feliz, desde o início de 13 Reasons Why, sabemos que a nossa protagonista, Hannah Baker, já tirou a própria vida. Ouvimos suas histórias através de gravações de áudio que ela fez antes de morrer, e tudo é contaminado pelo conhecimento de sua morte.

O suicídio é uma questão mais comum para adolescentes e adultos jovens do que para qualquer outra faixa etária. Isso não quer dizer que a série lhe dará respostas fáceis sobre o suicídio, ou que representa a maneira como todas as pessoas suicidas pensam, sentem ou agem. Em vez disso, ela começa uma conversa sobre um tema controverso que muitos de nós vai enfrentar ou enfrentou em algum momento de nossas vidas.

Claro que, a série tem muitos problemas e poderia sim, em muitos momentos ter mais profundidade e responsabilidade com o tema, mas ela coloca a questão que o diálogo aberto e honesto sobre o suicídio pode ajudar a impedi-lo, fornecendo informações necessárias e empatia para aqueles que consideram o suicídio ou quem pode conhecer alguém suicida.

Continue Reading

Porque Negan é um líder melhor que Rick e o que podemos aprender com ele [PARTE II]

Porque Negan é um líder melhor do que o Rick

Eu falei aqui neste texto sobre o porquê de considerar o Rick um líder não tão bom quanto a maioria das pessoas acham. Agora vou explicar quais características do Negan, fazem dele um líder superior.

Negan foi introduzido no episódio final da sexta temporada de The Walking Dead. Ele comanda o grupo chamado “Os Salvadores”, composto por várias centenas de membros que sobreviveram ao apocalipse zumbi que destruiu, infectou e matou a maioria dos cidadãos do mundo.

Primeiro vamos entender os tipos de liderança, o professor George Kohlrieser, da escola de negócios suíça IMD, uma das mais importantes do mundo fez uma lista dos principais tipos, sendo elas:

Continue Reading

Porque Negan é um líder melhor que Rick e o que podemos aprender com ele [PARTE I]

Porque Negan é um líder melhor do que o Rick

Resolvi separar esse texto em duas partes pra não ficar tão extenso. Nessa primeira parte eu vou falar o porque de achar que Rick não é um líder tão bom quanto a maioria das pessoas gosta de pensar. Na segunda eu vou analisar o estilo de liderança do Negan.

Ao longo das temporadas pudemos acompanhar de perto o estilo de liderança que fez Rick sobreviver e chegar tão longe. Vimos ele tentar desistir desse “cargo” em algumas situações, como na prisão onde foi até criado um conselho para que todos pudessem ter poder de decisão.

O ponto é que durante as temporadas ele se deparou com oponentes que possuíam um estilo completamente diferente do seu e ao invés de pegar a parte boa do que cada um implementava, continuou indo em frente sem absorver muito no quesito gerenciar pessoas. Rick tinha tudo para ser o que o Negan é para sua comunidade (Os Salvadores), poderia ter inspirado, não pelo medo, e criado um ambiente mais consistente e produtivo.  

Segundo Michael D. Watkins, professor da escola de negócios IMD, a primeira transição que um profissional precisa passar para se tornar líder é a de especialista para generalista. É aquela fase em que ele deixa de comandar um departamento com atividades específicas, e assume uma função de gestão mais abrangente. Agora vamos pegar isso, aplicar em The Walking Dead e analisar.

Continue Reading

Orphan Black a série que você vai amar

orphan-black

Se você ainda não conhece essa série, precisa MESMO conhecer. Orphan Black já está na minha lista de séries favoritas bem ao lado de TWD, Vikings, Demolidor e Jessica Jones.

Confesso que quando um amigo meu Felipe, me indicou a série falando que era sobre clones, fiquei com certo receio, mas assim que comecei a assistir foi impossível parar. A série da BBC America já tem 4 temporadas, em menos de um mês assistindo já cheguei na última o que quer dizer que…

    1. Tenho muito tempo livre
    2. Sou uma pessoa muito desocupada
    3. A série é sensacional

Tatiana Maslany, a estrela. Ela é, acredite, interpreta só na primeira temporada 7 personagens. Confesso que antes da série eu não a conhecia, mas sua atuação não deixa nadinha a desejar, muito pelo contrário. Cada personagem tem suas particularidades e é bem diferente do outro apesar de serem clones, sim você leu direito, clones.

Pra você entender melhor a primeira temporada possui 10 episódios e teve início em 2013. A história começa com Sarah Manning, uma órfã britânica com um histórico de delitos criminais, presenciando o suicídio de uma desconhecida com a aparência idêntica à sua, depois disso ela resolve assumir sua identidade tornando-se a detetive Elizabeth Childs. As intenções iniciais de Sarah eram simplesmente tomar posse do dinheiro contido na conta bancária de Childs e usá-lo para começar uma nova vida com seu irmão adotivo Felix Dawkins (grave esse nome ele é um personagem fundamental na trama) e sua filha de 7 anos, Kira. Sarah usa a morte de Beth para despistar seu ex-namorado, um traficante de drogas chamado Victor, assumindo a identidade da policial e, consequentemente, acaba se envolvendo em uma conspiração envolvendo clonagem humana. Sarah então tem de ao mesmo tempo impedir que a polícia descubra sua identidade verdadeira e ajudar suas recém-descobertas irmãs clones a descobrir sua verdadeira origem, além de se proteger de um grupo de fanáticos religiosos que desejam destruí-las.

tatiana-maslany

Apesar da história louca, a série é bem intensa e muito envolvente, ela faz a gente refletir sobre conflitos éticos e religiosos. Além de aguçar nossa imaginação sobre a parte científica.

As cenas onde as personagens coexistem são tão bem feitas que nem percebemos a bruxaria de Hollywood com toda computação gráfica. Mas não é tudo feito no computador não, longe disso! Cada cena de clones é filmada quatro vezes.Uma cena com dois clones é filmada uma primeira vez, com a atriz Tatiana Maslany e uma dublê interpretando, cada uma, um personagem. Em seguida, Tatiana faz a mesma cena sozinha, conversando com um ponto na parede e repetindo os mesmos movimentos nos tempos exatos.

AQUI VAI UM GOSTINHO SOBRE AS PERSONAGENS PRINCIPAIS:

  1. Cosima Niehaus

cosima-niehaus

Sério gente, apesar de todas as personagens terem o mesmo fuço eu tenho crush na personalidade da Cosima. Descontraída, lésbica assumida, cientista e nerd. Encanta os corações dos fãs com seu humor inteligente e sua implacável necessidade de cuidar de suas irmãs recém-descobertas.

  1. Helena

helena

Meu caso com essa personagem é de amor e ódio. Você vai odiá-la com todas as forças da sua alma no começo da série e depois amá-la na mesma proporção. Helena tem sido parte de algumas das cenas mais violentas do show, e matou várias de suas “sestras” no passado, mas é uma pessoa atraente que está na linha entre o bem e o mal.

      3. Alison Hendrix

alison-hendrix

Ela pode ser bem irritante e subestimada no começo, mas vai te impressionar no decorrer das temporadas. Ela parece saída direto de Desperate Housewives, com seus dramas familiares, tentando levar uma vida aparentemente normal, mesmo estando no meio de tanta loucura.

Bem essas são só algumas das clones que vão aparecer na série. Mas já dá pra ter uma ideia do que vem por aí.

sisters

Continue Reading